VEM PRO GOOGLE

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

PARTICIPE TAMBÉM DESTE SITE!

MAIS DE 1.900.000 ACESSOS. Muito obrigada, de coração!

ESTE É UM DOS MELHORES E MAIORES BLOGS DE PORTUGUÊS

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

CHAPINHAR

Chapinhar é o ato de bater na água ou substância líquida ou ser batido por ela.

Quando penso em chapinhar, lembro de dias chuvosos e poças de água. E crianças brincando.
Priberam (1) define chapinhar como o verbo que significa:
1. Dar com a mão de chapa na água (intransitivo).
2. Banhar repetidas vezes (deitando o líquido com a mão, com esponja, etc.) (transitivo).
Por sua vez, o Michaelis (2) define o termo com significado mais amplo:
Como verbo transitivo direto, banhar com a mão ou com um pano embebido em líquido.
E ainda, como verbo transitivo indireto e intransitivo:
1. Bater de chapa em substância líquida ou pastosa.
2. Agitar-se na água com as mãos ou com os pés.
3. Bater a água em alguma coisa, quando cai.

Por fim, como intransitivo, no sentido de escorregar na lama e como atolar-se, atascar-se, chafurdar.
Apresenta a variação chapinar.
Por ilustração, é possível citar, de Mário Palmério, em Vila dos Confins, o seguinte trecho:
"Silêncio, escuridão. Suaves, vinham chapinhar, no lombo da canoa as maretas do rebojo. O sumidouro como que dormia, nas profundezas, um sono pesado: arfava, em cadência, levantando e abaixando o bote de tamboril num balouço macio" (3).

(1) http://www.priberam.pt
(2) http://michaelis.uol.com.br
(3) Livraria José Olympio Editora:Rio de Janeiro, 1976.

2 comentários:

  1. Eu vinha até me interessando pelo blog, mas fã no Pasquale? Me poupe! Vc deveria ler o que o Sírio Possenti fala a respeito dele! Vc sabe quem é Sírio Possenti, né? Se não sabe, ainda é tempo. Ele tem uma coluna no portal terra.

    ResponderExcluir
  2. A gramática é ensinada nas escolas, e o professor Pasquale é assessível e popular.

    Não o considero um estudioso, mas alguém com qualidades, muito além da gramática, e que é, afinal, um sucesso.

    Necessário, sim. Porque, como já disse, a gramática - desarticulada, fracionada e sem graça - é ensinada nas escolas.

    Além disso, o professor Pasquale consegue transmitir com encanto, quando ensina.

    E esse encanto me fascina.

    Os deslizes acontecem. Para vê-los basta que o autor esteja exposto.

    No mais, meu amigo, valeu o comentário e a divulgação de um estudioso sério e respeitado.

    Visitei o seu blog: muito boas as suas resenhas.

    Passo a seguidora e divulgadora, para quem quiser avaliar um filme novo, antes de se arriscar a horas de tédio ou prazer.

    ResponderExcluir

Esteja a vontade para comentar, criticar, elogiar ou enviar sugestões.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.
Ser feliz é uma opção e você é livre para viver a vida. Escolha seu sonho. Vale a pena.

QUEM SOU EU

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

Arquivo do blog