VEM PRO GOOGLE

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

PARTICIPE TAMBÉM DESTE SITE!

MAIS DE 2.000.000 ACESSOS. Muito obrigada, de coração!

ESTE É UM DOS MELHORES E MAIORES BLOGS DE PORTUGUÊS

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

SOBRE O USO DA VÍRGULA E O TERMO ETC. (ET CETERA)

ETC é abreviação da locução latina et cetera, que etimologicamente significa "e outras coisas". 
Emprega-se com o sentido de "e outros" (da mesma espécie), "e assim por diante", "e o resto", ou seja, para indicar que outras coisas - extensiva e hodiernamente, também outros animais, outras pessoas - que podiam ser mencionadas devem ser subentendidas.
Assim como antes da conjunção "e" só em raros casos se emprega vírgula, da mesma maneira só raras vezes se emprega vírgula antes do etc., pois essa locução encerra a conjunção "e", razão esta que condena, ainda, o emprego da conjunção antes do etc., sendo errado dizer "...peras, maçãs e etc."
Por conseguinte,

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

AO EMPÓS, EMPÓS DE

como se escreve, significado
É pelos olhos que entra em nós a maior parte das alegrias e tristezas. Os meus, ainda que bastante usados, enxergam bem, e mesmo, em certas circunstâncias, demais.
São, é natural, sujeitos a muitas ilusões; de muitas já fui ao empós, e eram miragens que me levaram ao meio de um deserto onde me alimentei de gafanhotos e lágrimas, tomando sopa de vento, comendo...

FIGURAS DE LINGUAGEM. SILEPSE

Silepse é figura de linguagem por omissão e significa concepção.
Consiste no emprego de certas palavras que concordam com o pensamento e não são regidas pelas regras gramaticais. É a omissão da palavra com que se faz a concordância da oração, dando assim a impressão de discordância.
Subdivide-se em:
silepse de gênero (as palavras não concordam em gênero);
silepse de número (as palavras não concordam em número) e
silepse de pessoa (as palavras não concordam quanto à pessoa).
Exemplos:
Silepse de gênero:
Admitindo a idéia de que eu fosse capaz de semelhante vilania, S.M. foi cruelmente injusto para comigo (Alexandre Herculano, Castas, II)
Vossa Excelência é cuidadoso.
Silepse de número:

FIGURAS DE LINGUAGEM. ZEUGMA

Zeugma é uma figura de linguagem por omissão, pela qual uma palavra, geralmente verbo, expressa em determinada parte do período, é subentendida em outra(s) posterior(es) ou anterior(es) àquela (ver elipse).
Exemplos:
Vieira vivia para fora, para cidade, para a corte, para o mundo; Bernardes, para a cela, para si, para o seu coração (Antonio Feliciano de Castilho, Apud Álvaro Luís e

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

FIGURAS DE LINGUAGEM. RETICÊNCIA

como usar reticências?
Reticência é figura de linguagem por omissão e significa calado.
Consiste em deixar suspenso ou incompleto um pensamento. É a omissão intencional de uma palavra ou oração, geralmente nos provérbios.
Exemplos:
Não quero dizer mais nada... foi inacreditável... Vergonhoso mesmo... como reagirão...
Não esperem nada dele, pois...

FIGURAS DE LINGUAGEM. PROLEPSE

prolepse é uma figura de linguagem
Prolepse é figura de linguagem por omissão,  e ocorre quando, na oração, uma palavra que compreende um todo se subentende em suas partes.
Exemplos:
Jesus e o diabo são pescadores de almas: Jesus, para o Céu; o diabo, para o inferno. (A.D.S. Brito)
OBS.: Não se confunde a prolepse, figura de sintaxe com a prolepse, figura de retórica. Em retórica, a...

FIGURAS DE LINGUAGEM. POLISSÍNDETO

figuras de linguagem: Polissíndeto
Polissíndeto significa muitas ligações. Consiste na repetição de uma conjunção maior número de vezes do que o exige a ordem gramatical. É interessante notar que esta figura dá à ação uma continuidade imediata, necessária à exposição de certos fatos.
Exemplos:
E zumbia e voava, e voava, e zumbia. (Machado de Assis, Poesias Completas)
Aquele corpo ardente que o envolve, e enlaça, e prende, e aperta...

FIGURAS DE LINGUAGEM. POLIPTOTO

Figuras de linguagem: Poliptoto Poliptoto significa em vários modos ou casos.
Consiste na repetição da mesma palavra em um período, tendo funções ou formas diferentes.
Exemplos:
Trabalhar, trabalhei, porém...

FIGURAS DE LINGUAGEM. TMESE

Figuras de linguagem: Tmese Tmese significa corte, divisão.
Consiste na quebra de uma palavra, intercalando outra. É muito comum no futuro do presente e no futuro do pretérito do indicativo.
Exemplos:
Abandonou a mulher na...

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

FIGURAS DE LINGUAGEM. PLEONASMO

Pleonasmo significa redundância, superabundância.
Consiste no emprego de expressões redundantes para dar maior força à frase, para dar graça, ênfase e energia à frase.
É o emprego de palavras aparentemente desnecessárias para a compreensão do texto, mas que serve para reforçá-lo.
Exemplos:
Morrerás morte mil da mão dum forte. (Gonçalves Dias)
A mim falou-me a voz da consciência.
Não fiqueis homem mudo e quedo.
Onde há vergonha e honra, não de pode afirmar, senão o que se vê com os olhos, ou se ouve dos dignos da fé. (Arrais)

Observação:

FIGURAS DE LINGUAGEM. PERÍFRASE

Perífrase é uma figura de linguagem
Perífrase significa dizer por circunlóquio. Consiste no emprego de um rodeio de palavras para exprimir uma coisa. É a substituição de um nome próprio por um rodeio ou circunlóquio. Ou seja, é o uso de muitas palavras para exprimir uma só ideia.
Exemplos:

FIGURAS DE LINGUAGEM. PARONOMÁSIA

Paronomásia significa sobrenome, apelido.
Consiste na repetição de palavras parecidas ou parônimas, isto é, semelhantes no som, porém diversas na significação. É a agnominação.
Exemplos:

FIGURAS DE LINGUAGEM. FIGURAS DE INVERSÃO. PARÊNTESE

Parêntese ou parêntesis significa inserir, pôr dentro.
Consiste na intercalação de uma frase no período ou períodos que se intercalam num texto, formando um sentido à parte. É a colocação de uma oração ou palavras fora do discurso.
Essa intercalação ocorre geralmente entre vírgulas ou entre parênteses. O orador faz uma digressão ou muda o tom da voz ou ainda alerta sobre essa intercalação.
Exemplos:

FIGURAS DE LINGUAGEM. PARALELISMO

Paralelismo significa que está ao lado.
Consiste em repetir um mesmo pensamento, usando outras palavras ou com modificações mínimas, dando ao leitor a ideia de insistência ou repetição continuada com o objetivo de fazê-lo reter com mais facilidade. É simetria entre duas ou mais coisas, comparável ao paralelismo...

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.
Ser feliz é uma opção e você é livre para viver a vida. Escolha seu sonho. Vale a pena.

QUEM SOU EU

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

Arquivo do blog