VEM PRO GOOGLE

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

PARTICIPE TAMBÉM DESTE SITE!

MAIS DE 1.870.000 ACESSOS. Muito obrigada, de coração!

ESTE É UM DOS MELHORES E MAIORES BLOGS DE PORTUGUÊS

domingo, 21 de fevereiro de 2016

DEFERIDO OU DIFERIDO/DIFERIU OU DEFERIU: SIGNIFICADO, DIFERENÇAS, EXEMPLOS

A mudança de uma vogal pode alterar todo o sentido de uma frase.
Deferir é despachar favoravelmente, conceder o que foi pedido; diferir é adiar, procrastinar, retardar, fazer durar ou demorar. Ou, ainda, ser diferente, divergir.
Assim, deferido é o pedido atendido e diferido é o que foi adiado ou o que é diferente.
Exemplos: 
"E em razão disso, defiro a antecipação de tutela, para obstar publicidade a quaisquer anotações negativas ao nome da Autora (Fulana, RG nº(clique em "mais informações" para ler mais)
xxxxxxxxxx e CPF/MF nº xxxxxxxx) em razão dos apontamentos de fls. xxx (inserido pela Ré, oriundo do contrato de nº xxxxxxxxxx, datado de xx/xx/xxxx, no valor de R$ xxxx) até julgamento desta causa."
Vamos traduzir em miúdos?
Aqui, o juiz deferiu o pedido da Autora, de tutela antecipada (é claro que não identifiquei a Autora nem os detalhes, que não interessam). Tutela antecipada é o pedido para antecipar efeitos, desde que preenchidos determinados requisitos. No caso, o nome da Autora estava negativado, segundo consta, indevidamente. Ao final, o juiz julgará a lide procedente e manterá o aqui deferido (para cancelamento definitivo da negativação) ou improcedente, e o nome da Autora será outra vez negativado, porque o apontamento era devido.
Outros pedidos pedidos podem ser deferidos pelo juiz, como o de gratuidade processual, prioridade etc. Ou pelo pai, pelo chefe, pelo amigo.
O termo diferir encontra também largo emprego no português, em especial em matérias contábeis e vinculadas a economia e finanças, quando carrega o sentido de adiar:
"No diferimento, o Estado desonera os pequenos contribuintes, os produtores agropecuários e extrativos da obrigação de efetuar o lançamento do imposto, concentrando suas atenções principalmente nos segmentos industrial e comercial." 
"O ganho de capital diferido é calculado aplicando-se o percentual resultante da relação entre o ganho de capital total e o valor total da alienação sobre o valor de cada parcela recebida."
"O Ativo Diferido caracterizava-se por evidenciar os recursos aplicados na realização de despesas que, por contribuírem para a formação do resultado de mais de um exercício social futuro, somente eram apropriadas às contas de resultado à medida e na proporção em que essa contribuição influencia a geração do resultado de cada exercício."
Diferir, no sentido de ser diferente, divergir, pode ser exemplificado:
"O menor valor obtido no experimento não diferiu dos resultados antes apresentados."
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Respeite o direito autoral.
Gostou? Faça uma visita aos blogs. É só clicar nos links:
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.
Um abraço!
Thanks for the comment. Feel free to comment, ask questions or criticize. A great day and a great week! 
Maria da Glória Perez Delgado Sanches

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Esteja a vontade para comentar, criticar, elogiar ou enviar sugestões.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.
Ser feliz é uma opção e você é livre para viver a vida. Escolha seu sonho. Vale a pena.

QUEM SOU EU

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

Arquivo do blog