VEM PRO GOOGLE

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

PARTICIPE TAMBÉM DESTE SITE!

MAIS DE 1.900.000 ACESSOS. Muito obrigada, de coração!

ESTE É UM DOS MELHORES E MAIORES BLOGS DE PORTUGUÊS

domingo, 21 de outubro de 2007

Por que / Por quê / Porque ou Porquê?

O uso dos PORQUÊS sempre confunde a maioria das pessoas, gerando equívocos ortográficos e insegurança por parte dos redatores.

Isto PORQUE há quatro maneiras de escrevê-los, dependendo do caso, onde será aplicado.

Trata-se de palavras "homônimas", ou seja, aquelas que possuem a mesma grafia, ou a mesma pronúncia.

Você poderia perguntar ... PORQUE tantas formas de grafar?

A resposta é simples: PORQUE o uso do PORQUÊ depende do que exatamente você quer dizer com o seu PORQUÊ.


Veja:
POR QUE = SEPARADO, SEM ACENTO

Usamos em frases interrogativas, uma vez que temos a PREPOSIÇÃO "POR" seguida do PRONOME INTERROGATIVO "QUE".

Caso esteja em final de frase, ou funto de pontuação, a palavra deverá ser acentuada - separado, com acento. POR QUÊ?

Equivale a "POR QUAL MOTIVO", "POR QUAL RAZÃO":

- Não sei por qual motivo você acha isso.
- Não sei por qual razão você acha isso.



POR QUÊ = SEPARADO, COM ACENTO

POR QUAL MOTIVO, POR QUAL RAZÃO, NO FINAL DA FRASE

No final de uma frase, imediatamente antes de ponto final, de interrogação ou de exclamação, ou ainda de reticências: o monossílabo passa a ser tônico.

- Não sei por quê!
- Ainda não terminou? Por quê?



POR QUE = PARA QUE OU PELO QUAL, PELOS QUAIS

Representa uma PREPOSIÇÃO + um PRONOME RELATIVO, equivalendo a pelo qual, pelos quais, pelas quais, pela qual. Em outros contextos por que equivale a "para que".

- O túnel por que deveríamos passar desabou ontem. (por que = pelo qual)

ATENÇÃO! Usamos POR QUE, SEM ESTAR EM FRASES INTERROGATIVAS, QUANDO EQUIVALER À EXPRESSÃO "PELO QUAL", ONDE A PALAVRA "QUE" EQUIVALE A UM PRONOME RELATIVO.

PORQUE = JUNTO, SEM ACENTO

É uma conjunção que exprime causa ou explicação, freqüentemente usada nas respostas, proporcionando coesão ao texto.

É uma conjunção, equivalente a POIS, JÁ QUE, UMA VEZ QUE, como:

- Você continua implicando comigo! É porque eu faltei ontem?

Pode também indicar finalidade: PARA QUE, A FIM DE. Trata-se de um uso mais frequente na linguagem atual.



PORQUÊ = JUNTO, COM ACENTO

É um substantivo, geralmente precedido pelo artigo definido "o", e pode ser substituído por "O MOTIVO".

Como funciona como substantivo, neste caso, admite a flexão de número: PORQUÊS, no plural.

Representa um substantivo. Significa CAUSA, RAZÃO, MOTIVO.

- Creio que os verdadeiros porquês mais uma vez não vieram à luz.

Fonte:

- site Estuda Brasil
- Mariana Pandolfi Francisco, bacharel em Letras pela USP, Professora de Língua Portuguesa, em REVISTA OAB SBC nº 101, ABRIL/JULHO DE 2007,

4 comentários:

  1. ERA TUDO QUE EU PRECISAVA! MUITO OBRIGADA

    ResponderExcluir
  2. legal viu pessoal esse por que são muito importantes na gramatica e vocês me ajudaram em um trabalho de escola

    ResponderExcluir

Esteja a vontade para comentar, criticar, elogiar ou enviar sugestões.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.
Ser feliz é uma opção e você é livre para viver a vida. Escolha seu sonho. Vale a pena.

QUEM SOU EU

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

Arquivo do blog