VEM PRO GOOGLE

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

PARTICIPE TAMBÉM DESTE SITE!

MAIS DE 1.870.000 ACESSOS. Muito obrigada, de coração!

ESTE É UM DOS MELHORES E MAIORES BLOGS DE PORTUGUÊS

domingo, 5 de agosto de 2012

FIGURAS DE LINGUAGEM. FIGURAS DE INVERSÃO. ANÁSTROFE, SÍNQUISE E HIPÉRBATO

exemplos de figura de linguagem: sínquise hipérbato anástrofe
São três figuras de linguagem que têm seus significados ligados a revirar, transformar, por em desordem, à confusão.
A anástrofe consiste na inversão da ordem natural das palavras correlativas, ou seja, é a transposição da ordem analítica, pela qual os complementos se antepõem à palavra a que completam. É a transposição dentro de...
uma mesma oração. O seu emprego é frequente, mormente em orações interrogativas ou optativas. A inversão, aqui, é suave, para finalidades estilísticas, diferentemente do que ocorre no caso da sínquise e do hipérbato. Há gramáticos que classificam a anástrofe como a inversão entre o sujeito e o predicado.
Exemplos anástrofe:
Mas como causar pode seu favor/Nos corações humanos amizade/Se tão contrário a si é o mesmo Amor?" (Soneto 74, Obras Completas, por Hernani Cidade, Camões)
De amor coração repleto, graças a Deus.
Da lua os claros rutilavam / pelas argênteas ondas neptuninas. (Camões)

A sínquise também significa desordem, confusão. Porém, é uma inversão violenta da ordem direta do termos da oração, o que dificulta a compreensão do texto em uma primeira leitura.
O hino nacional brasileiro apresenta diversas inversões. A primeira delas e talvez a mais famosa seja a dos dois primeiros versos: Ouviram do Ipiranga as margens plácidas / De um povo heróico o brado retumbante. Neles, é difícil a compreensão do enunciado, pois à primeira vista o leitor fica em dúvida: quem ouviu o quê?
É o melhor exemplo de sínquise: depois de analisar a oração, chega-se à conclusão de que às margens plácidas do Ipiranga (um riacho), ouviram o brado retumbante de um povo heróico. 

O hipérbato é outra figura que consiste na inversão da ordem natural na oração ou no período. Inversão brusca, não compromete o entendimento, como no caso da sínquise. 
Exemplos de hipérbato:
Vereis um novo exemplo
de amor dos pátrios feitos valerosos
em versos divulgado memorarem. (Camões)
Não te esqueças daquele amor ardente
que já nos olhos meus tão puro viste. (Camões).

deixe um comentário. SEMPRE É POSSÍVEL MELHORAR.

Obrigada pela visita!
QUER RECEBER DICAS? SIGA O BLOG.


Seja leal. Não copie, compartilhe.
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Respeite o direito autoral.
Gostou? Clique, visite os blogs, comente. É só acessar:

BELA ITANHAÉM

TROCANDO EM MIÚDOS

"CAUSOS": COLEGAS, AMIGOS, PROFESSORES

GRAMÁTICA E QUESTÕES VERNÁCULAS
PRODUÇÃO JURÍDICA
JUIZADO ESPECIAL CÍVEL (O JUIZADO DE PEQUENAS CAUSAS)

e os mais, na coluna ao lado. Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.
Um abraço!
Thanks for the comment. Feel free to comment, ask questions or criticize. A great day and a great week! 

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Esteja a vontade para comentar, criticar, elogiar ou enviar sugestões.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.
Ser feliz é uma opção e você é livre para viver a vida. Escolha seu sonho. Vale a pena.

QUEM SOU EU

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

Arquivo do blog