VEM PRO GOOGLE

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

PARTICIPE TAMBÉM DESTE SITE!

MAIS DE 1.770.000 ACESSOS. Muito obrigada, de coração!

ESTE É UM DOS MELHORES E MAIORES BLOGS DE PORTUGUÊS

quarta-feira, 8 de junho de 2016

INTERPÉRIES OU INTEMPÉRIES? Diferença, significado, exemplos

Intempéries é o plural do substantivo feminino intempérie. 

Interpérie não existe. É termo não registrado nem pela Academia Brasileira de Letras (ABL) nem pelos dicionaristas.
Intempérie é o mau tempo, a perturbação violenta...
das condições climatéricas (ou climáticas): o vento forte, a tempestade, a seca, os tufões e tornados, os vendavais, a chuva torrencial.  Por extensão, é a desgraça, o fato infeliz ou desfavorável e, no Direito, o caso fortuito ou de força maior capaz de justificar o não cumprimento de uma obrigação.
Intempérie do tempo ou intempérie climática é expressão a ser evitada, pois do contexto se depreende se a intempérie relaciona-se ao tempo (o caso mais comum), a um infortúnio ou ao Direito (em geral associada ao mau tempo).
Vamos aos exemplos?
Intempérie provoca alagamentos em Prudente.
O ano de 2005 marcou a Amazônia pela pior intempérie registrada abaixo da linha do Equador: depois de uma seca de quase seis meses, fortes temporais.
Devido a uma intempérie registrada na região na última semana, equipes que trabalham no município tiveram que se deslocar para outra cidade para dar conta da demanda. 
A preocupação tem sido no sentido de auxiliar na liberação de recursos federais para ajudar na reconstrução das propriedades atingidas, assim como para ajudar na recuperação das obras públicas danificadas pelas intempéries
Intempérie em Braga causa inundações. Na zona de Ferreiros, a chuva intensa e persistente causou inundações.
Assentou, ainda, que a parte não logrou comprovar as alegações de que intempéries climáticas impossibilitou o adimplemento das obrigações contratuais. 
 As intempéries climáticas, nos dias atuais, são constantes na lida diária dos produtores rurais, mostrando-se defeso admitir a alegação para o fito de ilidir a sua responsabilidade pelo pagamento do débito. 
Não apreciado o pedido de condenação da ré ao pagamento de perdas e danos relacionadas aos gastos com estacionamento e depreciação do veículo exposto às intempéries, até a solução do impasse, caracterizada está a sentença como citra petita, impondo-se a sua desconstituição, não sendo possível a aplicação do artigo 515 , § 1º , do CPC , sob pena de afronta ao duplo grau de jurisdição. 

deixe um comentário. SEMPRE É POSSÍVEL MELHORAR.

Obrigada pela visita!
QUER RECEBER DICAS? SIGA O BLOG.


Seja leal. Não copie, compartilhe.
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Respeite o direito autoral.
Gostou? Clique, visite os blogs, comente. É só acessar:

BELA ITANHAÉM

TROCANDO EM MIÚDOS

"CAUSOS": COLEGAS, AMIGOS, PROFESSORES

GRAMÁTICA E QUESTÕES VERNÁCULAS
PRODUÇÃO JURÍDICA
JUIZADO ESPECIAL CÍVEL (O JUIZADO DE PEQUENAS CAUSAS)

e os mais, na coluna ao lado. Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.
Um abraço!
Thanks for the comment. Feel free to comment, ask questions or criticize. A great day and a great week! 

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches 

Um comentário:

  1. Obrigada por compartilhar. É muito interessante.

    ResponderExcluir

Esteja a vontade para comentar, criticar, elogiar ou enviar sugestões.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.
Ser feliz é uma opção e você é livre para viver a vida. Escolha seu sonho. Vale a pena.

QUEM SOU EU

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

Arquivo do blog